Última hora

Última hora

O dia seguinte às explosões no paiol da marinha russa

Em leitura:

O dia seguinte às explosões no paiol da marinha russa

Tamanho do texto Aa Aa

Bombeiros sapadores e efectivos militares estão a passar a pente fino a zona do arsenal que se incendiou ontem à noite na cidade russa de Ulianovsk para encontrar munições não detonadas e dois bombeiros desaparecidos.

Onze pessoas estão hospitalizadas, duas com ferimentos graves, na sequência das explosões em cadeia que se sucederam durante um processo de destruição de munições obsoletas de um paiol da Marinha russa. 40 militares foram resgatados sãos e salvos de um abrigo antiaéreo. Durante as explosões, que duraram várias horas, as autoridades evacuaram uma zona com um raio de sete quilómetros. Mais de 3 mil pessoas foram afectadas. Esta mulher diz ter sido “assustador”. Refere que quando regressaram a casa, “as janelas estavam todas partidas.” Inicialmente temia-se a existência de armas químicas, uma ideia desmentida pelo ministério da Defesa. A hipótese de atentado foi descartada. A Procuradoria-Geral anunciou a abertura de um inquérito para determinar se houve negligência e violação das regras de manuseamento de armas.