Última hora

Última hora

Praga lembra Revolução de Veludo

Em leitura:

Praga lembra Revolução de Veludo

Tamanho do texto Aa Aa

Há 20 anos dava-se a Revolução de Veludo na antiga Checoslováquia.

O movimento revolucionário começou com discursos junto à Universidade de Praga, mas depressa se transformou numa marcha pacífica rumo à baixa da cidade. A contestação ditou o fim do comunismo na ex- Checoslováquia ao fim de quatro décadas. Esta terça-feira, milhares de checos recordaram o dia e o ícone da revolução: Vaclav Havel, um firme defensor da resistência pacífica. Mas o aniversário não está isento de polémicas. Os líderes que conduziram à queda do regime totalitário querem um ajuste de contas com os comunistas. Havel – ícone da revolução e primeiro Presidente da República Checa – lamenta que os dirigentes comunistas não tenham sido julgados. A marcha estudantil levada a cabo a 17 de Novembro de 1989 foi duramente reprimida. Checos e eslovacos – reunidos então num mesmo país – invadem as ruas contra o estado totalitário. Um dia depois, rumores sobre a morte de um estudante aceleram o descontentamento, levando, para as ruas meio milhão de pessoas.