Última hora

Última hora

Khmers Vermelhos: História de um regime cruel

Em leitura:

Khmers Vermelhos: História de um regime cruel

Tamanho do texto Aa Aa

Entre 1975 e 1979, os Khmers Vermelhos, que defendiam a eliminação dos intelectuais e a reeducação dos adultos através do trabalho manual, estabeleceram um reinado de terror. A população cambojana foi perseguida, privada de alimento e executada.

Formados em França nos meios marxistas dos anos 50, Pol Pot e os seus seguidores instauram uma ditadura de uma violência poucas vezes vista. Douch foi um dos mais conhecidos servidores do regime. O S21, campo de trabalho que dirigiu, foi responsável pela morte de perto de 20.000 pessoas, homens, mulheres e crianças. Situado num antigo liceu do centro de Phnom Penh, oficialmente o campo acolhia opositores do regime. Mas os prisioneiros começaram a chegar pelos motivos mais vagos. O simples facto de alguém usar óculos poderia valer uma sentença de extermínio. Homens mulheres e crianças eram torturados e mortos em datas específicas, assinadas por Douch. Horrores que só recentemente começaram a ser julgados. Actualmente, quatro antigos dirigentes khmers respondem perante um tribunal dirigido pelas Nações Unidas. Para além de Douch, enfrentam a justiça Nuon Chea, o irmão número dois, Ieng Sary, o irmão número três e Khieu Samphan. O principal mentor da aberração ideológica e mortífera nunca chegou a enfrentar a história. Pol Pot morreu em 1998 quando se encontrava fugido no coração da selva.