Última hora

Última hora

Investigadores do clima sentem "terrível frustração" pela inércia política

Em leitura:

Investigadores do clima sentem "terrível frustração" pela inércia política

Tamanho do texto Aa Aa

Photo “Quelccaya Ice-Cap, Peru”: © Bobby Haas / Getty Images

Um dos maiores especialistas em alterações climáticas das Nações Unidas descreve a “terrível frustração” que os cientistas sentem a poucos dias do início da Cimeira de Copenhaga. Numa entrevista exclusiva à Euronews, Jean-Pascal van Ypersele explica que os apelos urgentes à tomada de medidas não estão a ser ouvidos.

“Muitos de nós estamos seriamente frustrados pela disparidade que existe entre a clareza do nosso diagnóstico e a falta de uma vontade política global para tomar medidas ambiciosas que são necessárias para a protecção da população humana e dos ecossistemas das alterações climáticas drásticas”, diz van Ypersele.

Num artigo publicado antes da Cimeira de Copenhaga, o professor belga alerta para a necessidade de tomar medidas. “As alterações climáticas avançam a um ritmo rápido, e cada ano que passa sem que sejam tomadas medidas adicionais fará com que tenhamos que reduzir as emissões globais numa escala ainda maior. Seria muito melhor começar essa redução mais cedo”, diz.

Van Ypersele é o vice-presidente do Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas, instituição que, em 2007, partilhou o prémio Nobel da Paz com o activista ecológico Al Gore. Van Ypersele defende que para manter a subida da temperatura global abaixo dos 2 graus célsius (comparado ao nível do período pré-industrial) é preciso agir de forma radical para cortar pelo menos entre 50 a 85% a emissão de gases que provocam o efeito de estufa até 2050, ou até ainda mais tarde.

A reunião do COP15 procura um novo tratado global que reduza as emissões dos países e que entre em vigor na próxima década. “O primeiro período de compromisso do Protocolo de Quioto estende-se até ao dia 31 de Dezembro de 2012. Se não tivermos um acordo ratificado pronto para o dia seguinte, partes do mercado de carbono irão entrar em colapso”, avisa o professor van Ypersele.

Van Ypersele

O físico da Universidade Católica de Louvain é um especialista na interacção do Homem com o clima. Estabelece uma ligação directa entre o aquecimento global e o sofrimento humano. “A maioria dos glaciares está a derreter. Eles são tão bonitos…mas o mais importante é que eles são, nos Himalaias e nos Andes, as torres de água da região. Porque alimentam os rios que são a fonte de vida para cerca de um a dois biliões de pessoas, a sua existência é essencial. Quando derreterem por causa do aquecimento global, a água só estará disponível naquelas regiões quando chover ou nevar, e nas latitudes mais baixas, isso só acontece alguns meses por ano. O efeito das alterações climáticas pode ser um dos mais perigosos”, afirma van Ypersele.

A vaga de interesse dos media sobre relatórios climáticos é aplaudida pelo professor van Ypersele, que tem visto “um grande progresso na tomada de consciência nos últimos cinco anos”. Mas, apesar disso, volta a deixar um aviso relativo à preocupação que é dada pelo público às questões relacionadas com o aquecimento global. “Um dos problemas é que existem ainda poderosos lobbies económicos que difundem informação incorrecta que serve os seus próprios interesses. Os cidadãos devem aprender a ser mais críticos em relação à informação que recebem”, alerta.

Related Link: 100places.com

Image Credits:

  • “Quelccaya Ice-Cap, Peru”: © Bobby Haas / Getty Images