Última hora

Última hora

Primeiras sondagens apontam para a aprovação da proibição de minaretes na Suíça

Em leitura:

Primeiras sondagens apontam para a aprovação da proibição de minaretes na Suíça

Tamanho do texto Aa Aa

As primeiras sondagens à boca das urnas apontam para a aprovação da proibição da construção de minaretes na Suíça.

Uma projecção do instituto GFS indica que 59% dos suíços votaram sim no referendo que hoje perguntava aos eleitores se são a favor do fim da construção de minaretes. O referendo foi convocado pelos ultraconservadores, que reuniram em menos de 18 meses as cem mil assinaturas necessárias, alegando que as torres das mesquitas são um “símbolo da intolerância islâmica”. Mas para o governo helvético e os grandes partidos trata-se de uma medida que viola a liberdade religiosa e a tradição de tolerância. O Conselho Suíço de Religiões, com igrejas cristãs e comunidades judaicas e muçulmanas, faz coro da condenação. A Suíça conta com 400 mil muçulmanos. Das 180 mesquitas, apenas quatro têm minaretes. A campanha dos promotores do referendo foi controversa. Um dos cartazes mostrava uma mulher vestida com uma burca, diante de uma bandeira suíça coberta de sete minaretes com aspecto de mísseis.