Última hora

Última hora

Clima: Índia equaciona redução de 24% na intensidade carbónica

Em leitura:

Clima: Índia equaciona redução de 24% na intensidade carbónica

Tamanho do texto Aa Aa

A Índia está a equacionar uma redução da intensidade carbónica de 24 por cento até 2020, tendo como referência os níveis de 2005. Este valor é definido num relatório provisório do governo indiano, obtido pela agência Reuters.

A intensidade carbónica é definida pela quantidade de CO2 emitido por unidade de PIB. Segundo fontes governamentais, o quarto maior poluidor mundial pode oficializar já esta quinta-feira os valores que pretende apresentar na conferência do Clima em Copenhaga. Os Estados Unidos anunciaram uma redução de 17 por cento nas emissões poluentes e a China, tal como a Índia, aliou os esforços à intensidade carbónica, num aparentemente ambicioso corte de 40 a 45 por cento. Apesar do empenho das grandes potências, reina o pessimismo sobre um verdadeiro compromisso na cimeira promovida pelas Nações Unidas de 7 a 18 de Dezembro. O embaixador chinês para as Alterações Climáticas espelhou o sentimento, ao dizer nos últimos dias que “durante dois anos existiram negociações sem progressos suficientes” e ao acusar “os países desenvolvidos de não negociarem em boa fé”. Os especialistas lembram também que os valores de Nova Deli e Pequim significam que os respectivos países vão continuar a registar um aumento nas emissões poluentes, ainda que mais moderado. E o compromisso norte-americano corresponde apenas a um corte de 3 por cento, quando comparado com o ano de referência de 1990, pretendido pela União Europeia. Os países em desenvolvimento, por seu lado, já fizeram saber que qualquer redução nas emissões de CO2 estará forçosamente ligada a ajudas das nações ricas.