Última hora

Última hora

Iluminações de Natal não homologadas são perigosas

Em leitura:

Iluminações de Natal não homologadas são perigosas

Tamanho do texto Aa Aa

Os consumidores estão avisados: 30 por cento das iluminações de Natal são perigosas e podem provocar incêndios e electrocussões.

A conclusão é da Comissão Europeia, que investigou cerca de 200 produtos. Uma comerciante francesa, explica como minorizar os riscos: “Evitar utilizar lâmpadas que aquecem nos pinheiros, por exemplo. Lâmpadas que aquecem é o mesmo que dizer lâmpadas incandescentes. Com estas, não há nenhum problema. Seja numa árvore natural ou sintética, não há problema. “ Algumas pequenas fábricas mantêm o selo de qualidade, mas são uma minoria face à invasão em massa de lâmpadas a baixo preço e sem a devida garantia. As que têm garantía têm de cumprir as condições para não se incendiarem ou produzirem uma descarga eléctrica. “Aqui há uma coberta isoladora que permite criar o isolamento e protege a lâmpada a nível interior nas pequenas cápsulas. “ – explica outro comerciante. Nos testes efectuados pela Comissão Europeia, havia falhas de informação nas etiquetas, por haver pouco cabo ou ter pouca expessura ou por ter um isolante defeituoso, causa provável de curto-circuito. Uma responsável da associação francesa de consumidores avisa: “Num primeiro tempo, é preciso analisar bem as indicações na embalagem das iluminações, para saber se uma fiada de luzes é para uso interiro ou exterior, o que é importante. Por outro lado, é preciso, é preciso verificar todos os pequenos acessórios – os que ligam as lâmpadas, por exemplo, se são metálicos e não em plástico, é mais prudente. Que não há livre acesso, contactos eléctricos, e que há uma distância conveniente entre a primeira lâmpada e a ficha eléctrica.” A China lidera a lísta de países fabricantes de iluminações natalícias com defeitos: 41 por cento dos produtos chineses do género foram avaliados pela Comissão Europeia.