Última hora

Última hora

Obama promete mais 30.000 militares para o Afeganistão e uma retirada em 2011

Em leitura:

Obama promete mais 30.000 militares para o Afeganistão e uma retirada em 2011

Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos vão enviar mais 30 mil soldados para o Afeganistão, nos primeiros meses do próximo ano. Um esforço suplementar que, este ano fiscal, deverá rondar os 30 mil milhões de dólares – cerca de 20 mil milhões de euros – para ganhar uma guerra que “não está perdida”, garante Barack Obama.

O presidente norte-americano apresentou a sua nova estratégia para o conflito na prestigiada escola militar de West Point. “Determinei que é vital para o interesse nacional enviar 30 mil militares suplementares para o Afeganistão. Após 18 meses, as nossas tropas começarão a regressar a casa. Estes são os recursos de que necessitamos para levar a cabo a iniciativa, enquanto ajudamos os afegãos a construirem a capacidade de operar uma transição responsável das nossas forças”, explicou. O presidente norte-americano advertiu que o movimento talibã tem ganho um novo impulso e que a Al-Qaeda continua refugiada na fronteira com o Paquistão. E recusa as críticas dos que comparam o Afeganistão ao Vietnam: “Ao contrário do Vietnam,” disse, “temos o apoio de uma grande coligação de 43 nações que reconhecem a legitimidade das nossas acções. Ao contrário do Vietnam, não estamos face a uma insurgência popular em massa. E, mais importante ainda, ao contrário do Vietnam, o povo americano foi cobardemente atacado a partir do Afeganistão e continua a ser um alvo para esses mesmos extremistas que conspiram ao longo da fronteira.” O general Stanley McChrystal, comandante das forças norte-americanas no terreno, congratuliu-se com o envio de mais 30 mil militares, que elevará o contingente americano para cerca de 100 mil homens. Mas Obama continua a contar com reforços por parte dos aliados da Nato.