Última hora

Última hora

Cimeira do Clima abre sob o signo da urgência

Em leitura:

Cimeira do Clima abre sob o signo da urgência

Tamanho do texto Aa Aa

A Conferência de Copenhaga sobre o clima abriu, esta segunda-feira, sob o signo da urgência. “Este é o momento de tomar decisões”, é a mensagem saída do primeiro dia de trabalhos do COP15 – a ‘Conference of the Parties’ – ou 15.a Conferência das Partes, da ONU.

Vão ser duas semanas de intensas negociações. A primeira, mais técnica, entre os peritos; a segunda, mais política, entre os ministros. Para Yvo de Boer, secretário-geral da ONU para o clima, “o tempo está a esgotar-se. As pessoas começam a dizer que já passámos dois anos em negociações e que agora o processo tem de ser conclusivo. E o que ouvimos aqui, esta manhã, foi que os países querem que Copenhaga resulte num acordo forte e ambicioso.” Um acordo ambicioso é também o que reclamam 10 milhões de cidadãos de todo o mundo, que subscreveram uma petição nesse sentido. A petição foi transmitida aos líderes dinamarqueses, enquanto anfitriães da cimeira. Sobre o princípio, todos estão de acordo: é preciso reduzir as emissões de CO2. Mas isso custa dinheiro. Os países em desenvolvimento esperam uma contribuição por parte das nações ricas: pelo menos, sete mil milhões de euros por ano, até 2012. A conferência começou com uma curta-metragem, que mostra a urgência da acção.