Última hora

Última hora

Ambientalistas reagem positivamente a notícias dos EUA

Em leitura:

Ambientalistas reagem positivamente a notícias dos EUA

Tamanho do texto Aa Aa

As notícias chegadas da América provocaram reacções positivas, nos ambientalistas presentes em Copenhaga. A EPA, a Agência americana de Protecção do Ambiente, decretou que os gases com efeito de estufa são perigosos para a saúde pública.

Um argumento que permitirá a Barack Obama cumprir a promessa de reduzir as emissões de CO2 em 17%, entre 2005 e 2020. A decisão da EPA significa que Obama já não precisa do acordo do Congresso, para reduzir os gases com efeito de estufa. Martin Kaiser, director da política ambiental da GreenPeace, espera que o presidente aproveite a ocasião: “Depois do anúncio da EPA, o presidente Obama pode reduzir os níveis das emissões de CO2 por forma a alcançar os objectivos de luta contra o aquecimento global. Esperamos que, em Copenhaga, Obama eleve os seus objectivos. Assim, pode-se alcançar um acordo.” Yvo de Boer, o secretário-geral da ONU para o clima, encoraja também o presidente Obama a aproveitar a decisão da EPA, com o apoio da indústria. Para Louis Leonard, da ONG WWF, a decisão da EPA é apenas um primeiro passo: “É uma peça do puzzle, mas não é a solução. A solução passa por uma lei sobre o clima, e é por isso que queremos que o presidente venha a Copenhaga dizer ao mundo que vai fazer da legislação sobre o clima a sua prioridade.” Mas a indústria norte-americana não está disposta a tornar-se verde. Para convencê-la, Barack Obama vai reunir-se esta quarta-feira com empresários e ecologistas. Objectivo: discutir as negociações e as consequências de Copenhaga.