Última hora

Última hora

Uma cimeira sem carbono

Em leitura:

Uma cimeira sem carbono

Tamanho do texto Aa Aa

Negociar um acordo sobre clima, numa cimeira isenta de carbono – é isto que os organizadores da COP 15 esperam.

O transporte amigo do ambiente está por toda a parte, com oferta gratuita.

Os dinamarqueses querem que a cimeira das Nações Unidas seja uma mostra da vida sustentável. O campeão da causa é o homem conhecido em Copenhaga como o ‘autarca das bicicletas’. É Klaus Bondam, vice-presidente da câmara de Copenhaga:

“A cidade de Copenhaga investiu 30 a 40 mil milhões de euros na COP15. É, naturalmente, muito investimento que, a prazo, beneficia também os nossos cidadãos. Criámos espaço para muitas atividades, para a COP15 no quarteirão da própria Câmara Municipal, com muitos concertos de rock e outras coisas que, esperamos, atraiam os jovens que vêm à nossa cidade e lhes dêem esperança e que impeçam qualquer acção violenta”

O número de delegações dos diferentes países surpeendeu os organizadores.

Ninguém quis ficar de fora desta cimeira do clima. Mas os críticos dizem que a presença de gente que veio de longe deixou um rasto enorme de carbono.

“O meu país é no centro de África, sou da República Centro Africana…meio de transporte, vim de avião”, diz uma das participantes.

E outra completa:

“Eu venho do Nepal e vim de Avião. De Katmandu a Dehli, de Dehli a Viena e de Viena a Copenhaga”.

Os anfitriões dinamarqueses tentam encontrar maneiras de transportar toda a gente.

Uma turbina de vento transforma sopros em combustível biológico. Há uniformas feitos de plástico reciclado e, nas cantinhas os alimentos são todos biológicos.

Jan-Christoph Napierski, chefe do Departamento de Sustentabilidade da COP15 diz o que está previsto, para reduzir os efeitos nefastos:

“A COP15 provocará, aproximadamente, 40 milhas de toneladas de equivalentes a C02. Contamos não só o CO2, mas também as outras emissões de gás da casa verde. Estas emissões de gás da casa verde serão deslocadas para o Bangladesh, por um projecto que estamos a elaborar, incluindo duas fábricas, com muito mais energia eficaz, usando menos carvão na produção. Isto não será positivo apenas para a qualidade do ar na região mas reduzirá o CO2 significativamente”.

Estas iniciativas fazem a COP15 verdadeiramente original. É uma das maiores conferências das Nações Unidas e a primeira grande tentativa, para neutralizar o carbono. Quando se discute a sua escala, a maioria concorda que alcangar um acordo aqui é tão difícil que não deve haver obstáculos”.