Última hora

Última hora

Clima: Sucesso de cimeira de Copenhaga passa por Bruxelas

Em leitura:

Clima: Sucesso de cimeira de Copenhaga passa por Bruxelas

Tamanho do texto Aa Aa

Os olhos estão postos em Bruxelas, onde os dirigentes europeus tentam chegar a um acordo sobre o clima e salvar a cimeira de Copenhaga. Um pedido expresso pela Greenpeace, que conseguiu passar a segurança e manifestar-se à porta da cimeira dos Vinte e Sete.

Na reunião, iniciada esta tarde, os dirigentes europeus tentam obter um acordo sobre as ajudas a atribuir aos países em vias de desenvolvimento para fazerem face às mudanças climáticas.

À entrada do encontro, Fredrik Reinfelt, primeiro-ministro sueco, recordou que o seu país está disposto a dar mais de 250 milhões de euros anuais. Espera agora os montantes dos parceiros europeus.

Para além da Suécia, conhecem-se também as contribuições do Reino Unido, Bélgica, Dinamarca e Finlândia. Os países mais ricos e poluentes têm dificuldades em abrir os cordões à bolsa.

Antes do início da cimeira europeia, estavam reunidos apenas dois dos seis mil milhões de euros que a presidência sueca fixou como ajuda a fornecer nos próximos três anos.

O financiamento do combate às mudanças climáticas nos países pobres tornou-se no tema central dos debates em Copenhaga. Os europeus não se entendem sobre a questão do dinheiro, mas querem assumir a liderança das negociações. Em Bruxelas discute-se também um eventual aumento da proposta europeia de redução das emissões poluentes, de 20 para 30% até 2020, face aos níveis de 1990. Mas as divisões entre os Estados membros são importantes.