Última hora

Última hora

Clima: Gesto europeu para desbloquear cimeira de Copenhaga

Em leitura:

Clima: Gesto europeu para desbloquear cimeira de Copenhaga

Tamanho do texto Aa Aa

Os líderes europeus assumem a liderança das discussões sobre o clima em Copenhaga mas o acordo é criticado.

No final da cimeira em Bruxelas, os Vinte e Sete anunciaram o montante das ajudas a atribuir aos países em via de desenvolvimento, nos próximos três anos, para fazerem face às mudanças climáticas.

Após meses de debates, o acordo foi anunciado pela presidência sueca da União. Fredrik Reinfeldt explicou que a ajuda total europeia será de 2,4 mil milhões de euros por ano, mas que foi necessário negociar toda a noite para obter a contribuição de todos os Estados membros e da Comissão Europeia.

No total, serão 7,2 mil milhões de euros a atribuir em três anos, ou seja, um terço da ajuda mundial. Portugal vai contribuir com 12 milhões de euros por ano.

O financiamento das ajudas aos países pobres tornou-se no ponto central das discussões em Copenhaga. Bruxelas quer desbloquear as negociações, mas o acordo europeu é criticado.

As ajudas anunciadas são só para três anos e parte dos fundos vêm dos programas de ajuda ao desenvolvimento.

O deputado Reinhard Bütikofer, do grupo Verdes, é um dos que critica o acordo: “Na verdade, a Europa não está a pôr mais 7,2 mil milhões de euros na mesa, está apenas a reciclar fundos que já existiam. Dá a ideia de que se trata de dinheiro fresco e engana os países em vias de desenvolvimento”.

A União Europeia reiterou ainda a proposta de aumentar de 20 para 30% a redução das emissões poluentes até 2020, mas exige que os outros países façam o mesmo esforço.