Última hora

Última hora

Agressão a Berlusconi lança debate em Itália

Em leitura:

Agressão a Berlusconi lança debate em Itália

Tamanho do texto Aa Aa

A agressão de que foi vítima o primeiro-ministro italiano, acendeu um velho debate em Itália: o da violência provocada por um clima de forte tensão política.

Silvio Berlusconi foi agredido, ontem à noite, na cara com uma estatueta da catedral de Milão por um homem que conseguiu iludir a segurança do chefe de governo.

“Il Cavaliere” tinha acabado de proferir um discurso numa praça milanesa e trocava algumas palavras com vários apoiantes quando foi agredido.

Berlusconi ainda saiu da viatura oficial para, de acordo com fontes próximas do executivo, mostrar que não sofreu ferimentos graves. Para os seus opositores, o gesto teve como objectivo tirar o maior aproveitamento mediático da agressão de que foi vítima.

O homem que atacou o primeiro-ministro italiano, Masssimo Tartaglia, de 42 anos, foi, entretanto, acusado de “ofensas graves e premeditadas” e de atentado terrorista apesar de ter problemas mentais há mais de 10 anos.

Depois da agressão, Silvio Berlusconi foi conduzido ao hospital de Milão onde, depois de ter feito um TAC, passou a noite.

Os médicos que decidiram mantê-lo em observação diagnosticaram uma perda extensa de sangue, lacerações internas e externas no lábio superior, dentes partidos e fractura do septo nasal.