Última hora

Última hora

Administração da BA quer reduzir o impacto da greve de Dezembro

Em leitura:

Administração da BA quer reduzir o impacto da greve de Dezembro

Tamanho do texto Aa Aa

A administração da British Airways está a analisar as opções possíveis para fazer face à greve anunciada, ontem, pelo pessoal de cabine. A greve, agendada para a época de Natal – deverá à custar, à BA, 50 milhões de libras esterlinas – 55 milhões de euros – em baixa de volume de negócios e em reembolsos de bilhetes.

Willie Walsh director-geral da empresa promete analisar todas as alternativas: “Nos próximos dias vamos ver que medidas podem ser tomadas. Hoje vamos analisar as opções possíveis: encargos operacionais, relações laborais, opções legais e, claro, vamos ver o que podemos fazer para evitar ou reduzir o impacto desta greve.”

Em causa, um aumento de salários entre 2% e 7% este ano – em troca do congelamento dos salários, no ano seguinte – e a passagem a tempo parcial de três mil dos 13 mil empregados. Os sindicatos consideram que estas medidas, decididas pela administração da British Airways, “não são necessárias.”

A British Airways conclui, há um mês, um acordo de fusão com o grupo espanhol Iberia e perde um milhão e meio de libras por dia.

A greve tem uma duração de 12 dias, e começa a 22 de Dezembro. É caso para dizer: Boas Festas!