Última hora

Última hora

Neve lança caos nos transportes

Em leitura:

Neve lança caos nos transportes

Tamanho do texto Aa Aa

A vaga de frio e neve que assola a Europa continua a perturbar fortemente os transportes.

O Aeroporto de Malpensa, em Milão, no norte de Itália, é dos mais afectados. Esteve encerrado até ao princípio da tarde desta terça-feira, mas a reabertura não permitiu escoar todo o tráfego que estava em espera.

A gare está repleta de passageiros que viram os seus voos cancelados. Muitos deles, ouviram a mesma notícia por várias vezes:

“Ao primeiro vôo chegamos atrasados por causa da tempestade.O segundo voo foi cancelado. O terceiro voo está atrasado. Mas ainda esperamos ir dormir esta noite em Londres”, diz um passageiro.

As estradas do norte de Itália estão a sofrer constrangimentos de toda a ordem, provocados pelas espessas camadas de neve. E todas as escolas da cidade estiveram fechadas, por decisão municipal.

Reaberto está também o Aeroporto de Frankfurt. Durante a última madrugada e manhã foram cancelados 140 voos, o que deixou cerca de 8000 passageiros em terra.

Em Berlim, a situação não é tão grave. Mesmo assim, 13 aviões que pretendiam aterrar na capital germânica foram redireccionados para outros aeroportos.

Em Londres, o aeroporto mais afectado é do Luton. A low cost EasyJet anulou 150 voos.

A estes efeitos podemos juntar os três dias de paragem da linha ferroviária Eurostar.

Um passageiro diz que só quer mesmo chegar a casa:

“Nós acatamos todas as instruções em linha e veremos. Eu só queria voltar para trás, para casa, e ficar com a minha família no Natal”.

As estradas britânicas também sofreram bastante os efeitos da neve. A circulação é lenta e, nalguns casos, a vias foram mesmo encerradas. E nem todos os casos resistiram aos rigores do Inverno:

“O meu carro agora está avariado. Estou grávida de oito meses e os escritórios da companhia de seguros estão fechados e não posso falar com eles. Tenho que esperar que alguém me venha salvar” o desabafo de um mulher… de esperanças.

O Natal de 2009 vai ficar na memória de muita gente. Se as condições melhorarem, ainda será possível recuperar alguns atrasos. Mas há prejuízos irrecuperáveis.