Última hora

Última hora

Larijani pede pena máxima para "contra-revolucionários"

Em leitura:

Larijani pede pena máxima para "contra-revolucionários"

Tamanho do texto Aa Aa

O regime iraniano dá sinais de cerrar fileiras. Na sequência das manifestações de domingo, que resultaram na morte de 8 pessoas, inúmeros feridos e várias detenções, destacadas figuras ligadas ao poder fazem apelos a uma maior dureza contra os contestatários.

O presidente do parlamento iraniano, foi uma dessas personalidades. Ali Larijani instou o ministério do Interior e o sistema judicial a prenderem todos os conspiradores e sentenciá-los aos castigos máximos, sem apelo nem agravo.

Esta terça-feira verificaram-se movimentos populares de apoio ao governo.

Vários dirigentes da oposição e jornalistas foram detidos, além da irmã da prémio Nobel da paz de 2003. A galardoada, Shirin Ebadi, anunciou ser uma pressão do governo sobre si para acabar com as actividades de defesa dos direitos humanos.

Por outro lado alguns dissidentes vieram a público comentar os últimos desenvolvimentos.

O realizador Mohsen Makhmalbaf, exilado em Paris, referiu existir um clima de medo mas afirmou que o movimento contestatário vai continuar até destruir o regime.

Na segunda-feira, nalgumas cidades europeias, eclodiram manifestações contra o governo iraniano.