Última hora

Última hora

Guia Supremo iraniano classifica opositores como "inimigos de Deus"

Em leitura:

Guia Supremo iraniano classifica opositores como "inimigos de Deus"

Tamanho do texto Aa Aa

A revolta continua nas ruas do Irão. Os jornalistas estão impedidos de filmar e vários terão sido presos, mas vídeos amadores continuam a ser divulgados na internet.

Desde domingo, foram presas pelo menos 20 pessoas ligadas à oposição. Entre elas, a irmã da activista Nobel da Paz Shirin Ebadi ou o cunhado e três conselheiros do líder da oposição, Mir Hossein Moussavi.

Esta terça-feira, dezenas de exilados iranianos em Paris apelaram à intervenção dos líderes ocidentais para travar o regime de Ahmadinejad.

Um manifestante pediu “à França, à União Europeia e ao mundo que não apoiem o regime iraniano, que está a matar a própria população nas ruas, pessoas que não estão armadas, que apenas querem viver em liberdade e em democracia.”

No mesmo dia, Nicolas Sarkozy condenou a “repressão sangrenta dos protestos”. E a administração norte-americana receia que a imposição de novas sanções vire a opinião pública iraniana contra o movimento de protesto.

As autoridades de Teerão convocaram, para esta quarta-feira, manifestações de apoio ao governo, tal como aconteceu ontem.

Um homem apela a que a justiça seja pesada “contra os líderes da rebelião – Moussavi, Karhoubi e Khatami. Todo este tumulto desde as eleições é causado por estas três pessoas, que têm de ser castigadas”, acrescenta.

Na terça-feira, um representante do guia supremo iraniano, Ayatola Ali Khamenei, afirmou que os líderes da oposição são “inimigos de Deus” e que devem ser executados em nome da lei islâmica.

Mahmoud Ahmadinejad afirmou que as manifestações pró-governo vão “humilhar” os que criticaram a repressão dos protestos contra o regime.