Última hora

Última hora

Afeganistão: parlamento chumba ministros propostos por presidente

Em leitura:

Afeganistão: parlamento chumba ministros propostos por presidente

Tamanho do texto Aa Aa

A crise política no Afeganistão intensifica-se.

Hamid Karzai sofreu mais um revés, depois do parlamento ter chumbado três quartos dos ministros propostos pelo presidente afegão.

O chefe de estado foi declarado vencedor das eleições realizadas em Agosto apenas em Novembro, depois de um processo controverso.

Nas ruas de Cabul, os afegãos querem uma solução para o impasse politico.

“Os antigos ministros com mau currículo conseguiram um voto de confiança do parlamento, enquanto as caras novas foram rejeitadas, o que está a mergulhar o país numa crise”, diz um habitante da capital.

“Apoio totalmente a decisão do parlamento de aceitar e rejeitar os ministros, pois eles são a representação do povo”, adianta outro popular.

Karzai vai à Conferência de Londres no fim de Janeiro, numa tentativa de angariar mais fundos para as instituições e o exército do país. O presidente tem agora de jogar em duas frentes: agradar aos aliados internos e cumprir as exigências internacionais, como explica o analista político Haroon Mir:

“Karzai está sob pressão dos próprios aliados. Ou nomeia novamente os ministros da lista que lhe foi dada há uns meses ou tem de ter em consideração os requisitos da comunidade internacional.”

Uma nova nomeação de ministros pode demorar meses. Entretanto, o Afeganistão segue sem um governo definitivo, ao sabor da crise, depois do cartão vermelho mostrado a Karzai pelo parlamento.