Última hora

Última hora

Desemprego aumenta na Alemanha e em Espanha

Em leitura:

Desemprego aumenta na Alemanha e em Espanha

Tamanho do texto Aa Aa

A taxa de desemprego na Alemanha atingiu 8,2 por cento em 2009, o que significa um aumento médio de 155 mil desempregados relativamente ao ano anterior.

Mesmo assim, os efeitos da crise foram minimizados graças a um dispositivo de desemprego parcial financiado pelo Estado que salvaguardou 300 mil postos de trabalho.

Mas o auxílio pode acabar em breve.

“O esquema de trabalho em tempo parcial ajudou o mercado de trabalho mas não podemos financiar esse sistema durante muito tempo. As empresas já anunciaram que não conseguem suportá-lo e vão despedir trabalhadores”, avança o director-geral da agência de emprego federal alemã.

De acordo com os números oficiais no final de 2009 estivam desempregados 3,2 milhões pessoas na Alemanha.

Mesmo assim um valor mais baixo do que a Espanha que tem 3,9 milhões de pessoas sem emprego, com a agravante do país ter metade da população da Alemanha.

Em Dezembro a taxa de desemprego espanhola atingiu os 19,3 por cento e estima-se mesmo que este ano ultrapasse os 20 por cento.

Enrique Quemada, analista económico explica qual é o problema do país: “a Europa vai deixar esta crise para trás porque a França e a Alemanha já estão a sair, eles são os motores da economia europeia. Mas a Espanha tem um problema estrutural. O país estava muito dependente da indústria da construção e grande parte da economia – 26 por cento – girava em torno dessa indústria”.

A Espanha vive uma situação bastante difícil. Desde 1996 que o país não tinha uma taxa de desemprego tão elevada.