Última hora

Última hora

Bombista do voo Amsterdão-Detroit face aos tribunais norte-americanos

Em leitura:

Bombista do voo Amsterdão-Detroit face aos tribunais norte-americanos

Tamanho do texto Aa Aa

O bombista do voo Amsterdão-Detroit vai comparecer hoje frente à justiça norte-americana, acusado de tentativa de assassínio e de “tentativa de utilização de uma arma de destruição maciça”.

O jovem nigeriano Umar Farouk Abdulmutallab tinha tentado, sem sucesso, fazer deflagrar um explosivo num avião da Northwest Airlines, no dia de Natal.

Uma acção pela qual incorre numa pena de até 30 anos de prisão, estando afastada a condenação à morte.

Washington deverá também revelar novos dados sobre o inquérito ao incidente e às falhas dos serviços secretos.

Um alto responsável do governo do Iémen afirma que Abdulmutallab ter-se-ia encontrado com um imã radical no país, antes da tentativa de atentado.

O clérigo, contactado na região de Chaboua, Anouar al Aoulaki, foi morto no mês passado durante um ataque contra militantes da Al-Qaida no Iémen.

A imprensa norte-americana revela também hoje que a polícia do país estava ao corrente da presença do jovem nigeriano no voo entre Amsterdão e Detroit e que deveria ser interrogado à chegada.

O pai do bombista tinha já alertado em Novembro os serviços diplomáticos americanos para a possibilidade do filho estar a preparar um atentado.