Última hora

Última hora

Esgotam-se as esperanças de encontrar sobreviventes no Haiti

Em leitura:

Esgotam-se as esperanças de encontrar sobreviventes no Haiti

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de 72 horas após o sismo, as equipas de resgate prosseguem uma corrida contra o tempo para encontrar sobreviventes nas ruínas de Port-au-Prince.

Dos escombros do hotel Montana, totalmente destruído pelo terramoto foram retirados com vida pelo menos 8 pessoas. Cerca de 200 permanecem desaparecidas.

Um socorrista francês afirma que precisou de amputar uma perna a uma sobrevivente, “para poder retirá-la dos escombros”.

O hotel, frequentado na sua maioria por turistas estrangeiros, albergava mais de 300 pessoas, entre as quais os militares da missão da ONU no país.

Mas, apesar dos esforços das equipas de bombeiros e socorristas provenientes de mais de 30 países, várias zonas do país permanecem inacessíveis, em especial a cidade de Carrefour, junto ao epicentro do sismo.

Um socorrista afirma que está a trabalhar sem parar há mais de 48 horas e que só conseguiram resgatar três pessoas.

Com três quartos da capital devastada e milhões de desalojados, apesar dos esforços internacionais a maioria dos habitantes continua abandonada à sua sorte.

A insegurança ameaça dificultar ainda mais os trabalhos de resgate.

A destruição da cadeia da capital levou à fuga de mais de 4 mil detidos.

Os Estados Unidos anunciaram o envio de 8 mil soldados para o país, depois de se terem registado ontem várias cenas de violência e pilhagens.