Última hora

Última hora

Polícia haitiana impotente para travar pilhagens

Em leitura:

Polícia haitiana impotente para travar pilhagens

Tamanho do texto Aa Aa

A ajuda humanitária começa finalmente a chegar a um maior número de pessoas, seis dias depois do sismo de magnitude 7 que arrasou o Haiti.

Dezenas de milhares de sobreviventes continuam no entanto carentes de água, alimentos e assistência médica.

A cada dia que passa, aumenta a ira da população e sucedem-se as pilhagens de víveres perante a ausência de forças da ordem, em número suficiente para evitar episódios violentos.

O presidente haitiano anunciou a presença de tropas norte-americanas para, juntamente com as forças da ONU, reforçarem a segurança no território.

Numa altura em que os líderes mundiais continuam a prometer quantidades maciças de ajuda para reconstruir o país, as piores previsões parecem confirmar-se e o balanço de vítimas mortais chegará às 200.000.

As autoridades estimam que mais de milhão e e meio de pessoas tenham ficado sem casa e em Porto Príncipe estão a ser instalados 280 centros de acolhimento.

Por outro lado, estima-se que já tenham sido enterradas em valas comuns dos arredores da capital mais de 70.000 pessoas.