Última hora

Última hora

Móveis sobrevivem à crise

Em leitura:

Móveis sobrevivem à crise

Tamanho do texto Aa Aa

A crise não afectou particularmente a indústria dos móveis, em 2009.
 
A prová-lo, o Salão do Móvel de Colónia, o principal salão mundial do sector, surge este ano mais dinâmico do que nunca.
 
Mais de mil expositores de 51 países, uma adesão que excedeu mesmo as expectativas da organização.
 
Até ao dia 24 de Janeiro, Colónia espera receber mais de 300 mil visitantes. O sucesso dos móveis tem uma explicação, segundo o presidente da associação da indústria alemã do móvel:
 
“Em tempos de crise económica as pessoas pensam mais nas suas quatro paredes e é muito comum que as despesas com móveis e acessórios para a casa aumentem em tempos difíceis”.
 
E porque os industriais perceberam que, em tempos difíceis, cuidar do espaço interior é uma forma de levantar o moral, a Feira do Móvel de Colónia exibe durante seis dias,  100 mil peças de mobiliário, num espaço de 245 mil metros quadrados. 
 
A indústria do mobiliário representa na Europa 1,4 milhões de empregos e um volume de negócios de quase 130 mil milhões de euros.