Última hora

Última hora

Internet: China critica posição norte-americana

Em leitura:

Internet: China critica posição norte-americana

Tamanho do texto Aa Aa

Aumenta a tensão nas relações entre Washington e Pequim. Em causa está a censura praticada pelas autoridades chinesas na Internet.

A China reagiu às críticas de Washington no seguimento dos ciberataques de que a Google foi alvo. Em comunicado, as autoridades chinesas afirmam que os Estados Unidos fazem acusações sem qualquer fundamento.

A principal visada é a secretária de Estado Hillary Clinton que considerou, ontem, que “os países que restringem o acesso livre à informação ou violam os direitos básicos dos internautas se afastam do progresso do novo século. Os Estados Unidos e a China têm visões diferentes sobre esta questão e nós temos a intenção de atenuar essas diferenças no quadro das nossas relações.”

Na altura um vice-presidente da Google anunciou que os “sofisticados ciber-ataques” provenientes da China tinham como objectivo penetrar nas contas de email de activistas espalhados pelo mundo.

A advogada chinesa Li Chenyan diz esperar “que haja menos censura. Nem sequer podemos fazer pesquisas nalgumas revistas e websites académicos. Só encontramos pedaços de informação na Internet.”

A novela sino-americana sobre ciber-políticas promete não ficar por aqui. Uma novela sobre o mundo virtual, mas que pode vir a ter consequências bem reais.