Última hora

Última hora

Relembrar a catástrofe no Haiti

Em leitura:

Relembrar a catástrofe no Haiti

Tamanho do texto Aa Aa

Foi um dos casos de sobrevivência, em Port au Prince, que emocionou o mundo.

Quarta-feira, dois irmãos, de doze e sete anos, saíram ilesos de debaixo dos escombros, uma semana depois do terramoto.

A alegria das equipas de salvamento foi notória. Um médico israelita que participou no salvamento não conseguiu encontrar explicações clínicas para esta situação.

Alguns dias depois os jornalistas falaram com as duas crianças. A pergunta não poderia ser outra: Como conseguiu sobreviver tanto tempo sem água nem comida? A resposta para o inexplicável é: “Deus ajudou-me, foi assim que consegui manter-me vivo.”

Para lá da alegria a tristeza está espalhada nos olhos de Satina. Tristeza por ter perdido um irmão nesta tragédia. Um irmão mais novo que estava com eles mas que não conseguiu sobreviver.

Sabrina relembra: “O meu irmão mais novo morreu mesmo ao meu lado. E o corpo dele começou a apodrecer junto de mim. Antes de morrer pediu-me água. Não conseguimos encontrar água para lhe dar.”

As equipas de salvamento têm contribuído para autênticos milagres mas, dez dias depois do sismo,
é cada vez mais improvável encontrar sobreviventes.