Última hora

Última hora

Reino Unido: terceiro alerta "grave" em três anos

Em leitura:

Reino Unido: terceiro alerta "grave" em três anos

Tamanho do texto Aa Aa

Os transportes no Reino Unido, e sobretudo as viagens de avião, exigem agora mais paciência.
O país subiu o nível de alerta ao terrorismo, o que significa maior vigilância.

A medida surgiu poucos dias antes de duas reuniões internacionais-chave, em Londres: uma sobre o Afeganistão, outra sobre o Iemen.

O alerta passou para o nível “grave”, o quarto na escala de cinco definida após os atentados de 2005, em Londres.

Ontem, o ministro britânico do Interior tentou desdramatizar afirmando que “nada indica que um ataque esteja iminente”, mas este sábado o discurso é diferente:

“Sabemos que este país enfrenta a ameaça do terrorismo internacional. O facto de termos passado para um nível diferente faz parte do sistema de protecção do público contra essa ameaça”,disse.

Este nível de alerta no Reino Unido só foi activado duas vezes: em 2006, depois de os serviços de segurança terem descoberto um complô para atentados em aviões com os chamados explosivos líquidos – na altura três britânicos foram detidos, julgados e condenados a prisão perpétua – e
após dos ataques com carros armadilhados,
em Londres e Glasgow, em 2007.

A primeira reacção contra as apertadas medidas de segurança vem dos repórteres fotográficos. Mais de dois mil desfilaram este sábado nas ruas de Londres. Os profissionais da fotografia protestam contra a utilização abusiva da lei por parte da polícia, que os impede de fotografar na rua.

Um paradoxo, dizem, quando Londres é conhecida por ter o maior número de câmaras de vigilância por metro quadrado.