Última hora

Última hora

Opel: Sindicatos europeus unidos contra GM

Em leitura:

Opel: Sindicatos europeus unidos contra GM

Tamanho do texto Aa Aa

Todos contra a GM. Os funcionários da Opel na Europa mobilizam-se em solidariedade para com os colegas da fábrica de Antuérpia, cujo encerramento foi anunciado pela General Motors. Delegações das fábricas da OPEL em Espanha, Polónia, Alemanha e Reino Unido estiveram na Bélgica e, após uma reunião de duas horas, decidiram bloquear as negociações em torno do plano de reestruturação.
 
Peter Scherrer, secretário-geral da Federação europeia de Metalúrgicos, explica que “não haverá sacrifícios, não haverá concessões por parte dos sindicatos ou dos trabalhadores de outras fábricas, até que a direcção volte atrás com a decisão de fechar a fábrica de Antuérpia”.
 
Com o encerramento do pólo de Antuérpia serão despedidos 2600 trabalhadores. Mas no total, o plano de reestruturação da GM prevê o corte de mais de oito mil postos de trabalho na Europa.
 
Werner Dillen, delegado sindical da fábrica de Antuérpia, afirma: “É hora de termos uma Europa Social, caso contrário as multinacionais vão tirar proveito disso e vão fazer chantagem com cada um dos países para manter as fábricas a funcionar. Precisamos que a Europa esteja Unida”.
 
Peter Giesser, sindicalista da fábrica alemã da Opel em Russelheim, pede o apoio dos políticos e a boa vontade da GM. Recorda que a GM recusou o dinheiro oferecido pelo governo regional flamengo e que é uma mera decisão política.
 
Até quando vai durar o braço-de-ferro? Não se sabe.
 
Para já a General Motors vê complicar-se o projecto de terminar o plano de reestruturação até meados de Fevereiro, mas os funcionários da Opel em Antuérpia estão cépticos quanto ao apoio dos colegas europeus.