Última hora

Última hora

Primeiro-ministro turco apreensivo com futuro do Nabbuco

Em leitura:

Primeiro-ministro turco apreensivo com futuro do Nabbuco

Tamanho do texto Aa Aa

O ano de 2010 pode ser decisivo no futuro do gasoduto Nabucco, um projecto que teima em não sair do papel.

A via para reduzir a dependência europeia do gás russo já está pensada há cerca de dois anos, mas só agora é que o financiamento que permite pôr o plano em marcha pode vir a ser desbloqueado.

Ainda esta semana, representantes de vários países europeus reuniram em Budapeste para discutir o assunto. As esperanças repousam agora na Comissão Europeia.

Sem querer explicar porquê, o primeiro-ministro turco acha que construção não deve avançar. “A União Europeia ainda não lidou suficientemente bem com o projecto do Nabucco. Os gasodutos deste projecto vão precisar de 30 mil milhões de metros cúbicos de gás por ano. Será que o Nabucco vai conseguir ter tanta qauntidade nesta altura? Acho que não. Não há gás, não há gasoduto. No fundo, do que é que estamos a falar afinal?”, disse Recep Tayyip Erdogan.

O Nabucco é um projecto para transporte de gás natural entre a Turquia e a Áustria, passando pela Bulgária, Roménia e Hungria.

Segundo as últimas estimativas, a construção do gasoduto de 3300 km de extensão deverá custar 8 mil milhões de euros.

Nesta altura as dúvidas ainda persitem. Um dos principais problemas é a falta de investidores privados para o financiamento.

O presidente da Comissão Europeia disse que a necessidade de diversificação das fontes energéticas é mais “urgente do que nunca”. Durão Barroso espera que até 2015 o Nabucco faça chegar gás à Europa.

O presidente do Azerbeijão disse que há muitas perguntas sobre o gasoduto que continuam sem resposta. Ilkham Aliyev vai mais longe e acrescenta que o País vai aumentar a circulaçâo de gás para a Rússia se o projecto continuar for adiado.

A entrevista integral ao primeiro-ministro turco pode ser vista mais logo à noite, aqui, na Euronews.