Última hora

Última hora

Toyota nega sacrificar qualidade para chegar a número um

Em leitura:

Toyota nega sacrificar qualidade para chegar a número um

Tamanho do texto Aa Aa

A Toyota nega ter sacrificado a qualidade dos seus automóveis na corrida para tornar-se no primeiro fabricante de automóveis a nível mundial.

A acusação tinha sido feita contra o gigante japonês depois de a marca se ter visto obrigada a lançar uma mega-operação de recolha de viaturas devido a um problema de aceleradores.

Na primeira conferência de um alto responsável da Toyota desde o início da polémica, o vice-presidente da marca, Shinichi Sasaki, admitiu que “poderia ter-se falado desta questão antes. No entanto, [a Toyota] priorizou a tomada de medidas adequadas e pede desculpas pelo atraso para dar uma explicação”.

O gigante japonês foi obrigado a recolher mais de 9 milhões de carros no mundo inteiro.

Os analistas avaliam os custos directos da mega-operação entre 800 e 1600 milhões de euros, mas os custos indirectos poderão ser muito superiores. O impacto nas vendas já se começou a fazer sentir.

A Toyota anunciou ontem ter já uma solução técnica para o problema de acelerador registado em vários modelos.

A fabricação na América do Norte poderá retomar no dia 8, depois de uma interrupção sem precedentes na produção de seis fábricas dos Estados Unidos e do Canadá.