Última hora

Última hora

Haitianos apontam baterias contra o governo

Em leitura:

Haitianos apontam baterias contra o governo

Tamanho do texto Aa Aa

Haitianos manifestaram-se contra o governo. Queixam-se de lentidão nos processos de reconstrução do país.

Também esta terça-feira o executivo decidiu adiar por tempo indeterminado, as eleições legislativas e para o senado, previstas para o final deste mês e início do próximo.

Há margem destas decisões a grande preocupação dos habitantes locais continua a ser a sobrevivência.

Um haitiano diz que as pessoas não têm nada, nem água nem casa. Há crianças órfãs que também não têm ajuda. Remata dizendo que participa nesta manifestação para pedir dinheiro ao governo.

No terreno começou um programa de vacinação. Organização Mundial de Saúde e governo do Haiti vão vacinar 250 mil crianças que estão em abrigos temporários. Outras 200 mil pessoas, entre elas feridos, também vão ser vacinadas contra o tétano.

Um funcionário da UNICEF explica que o sarampo pode matar crianças, é um barril de pólvora. Esta é uma medida preventiva para salvar vidas.

Por todo o mundo muitas são as formas que se encontram para tentar ajudar estas populações.

Vinte e cinco anos depois da criação do hino pelo combate à fome em África, “We are the World” está de volta, com novas vozes e por uma nova causa: ajudar as vítimas do Haiti.

Resta saber quando e como chegará essa ajuda ao país já que até a ONU admite que o processo está a decorrer de forma lenta.