Última hora

Última hora

Lóbi gay satisfeito com revogação da lei "Don't ask, don't tell"

Em leitura:

Lóbi gay satisfeito com revogação da lei "Don't ask, don't tell"

Tamanho do texto Aa Aa

Mesmo se a reforma vai levar tempo, a aceitação dos homossexuais nas forças armadas norte-americanas foi aplaudida pelos activistas. Tal como Barack Obama prometera, a lei do “Don’t ask, don’t tell” – que significa “não pergunte, não diga” – deverá ser revogada.

Durante o próximo ano, governo e forças armadas vão trabalhar em conjunto para que os homossexuais possam integrar assumidamente o exército. “Dizerem-nos que não somos dignos de servir nas forças armadas, ou que somos um perigo, é apenas outra forma de nos dizerem que não contamos e que as nossas famílias não contam e que não somos iguais perante a Constituição” são as palavras do reverendo Gene Robinson, o primeiro bispo episcopal a assumir a sua homossexualidade.

Criada em 1993 por Bill Clinton, a lei “Don’t ask, don’t tell” foi o compromisso possível. Uma política de avestruz que consiste em aceitar os homossexuais nas forças armadas, desde que estes não falem da sua homossexualidade.

Desde então, mais de 13 mil soldados foram banidos por terem assumido a sua orientação sexual ou por terem sido denunciados.