Última hora

Última hora

Zapatero contra-ataca com reforma laboral

Em leitura:

Zapatero contra-ataca com reforma laboral

Tamanho do texto Aa Aa

O nervosismo continuou a subir e os índices a descer na bolsa de Madrid, esta sexta-feira. Ainda assim, as quedas foram muito inferiores às registadas ontem, as piores dos últimos 18 meses.

Zapatero quer contrariar a tendência de preocupação com as finanças públicas. Para isso, encontrou-se com os sindicatos para apresentar a proposta de reforma laboral, aprovada hoje em Conselho de Ministros. Os principais objectivos são favorecer a criação de emprego e aumentar a flexibilidade das empresas.

A Espanha foi castigada pela recessão e viu as finanças públicas degradarem-se a uma velocidade vertiginosa. Em 2007, o produto interno bruto espanhol registava um excedente de mais de 2%. Dois anos depois, o défice é de mais de 11%. Quanto à dívida pública, passou de mais de 36% do PIB em 2007 para 55,2% no ano passado. As previsões do governo apontam para mais de 74% em 2012.

O desemprego atinge, actualmente, mais de quatro milhões de pessoas, quase 19% da população activa. Um empresário pensa que uma das soluções passa pela integração dos jovens no mercado de trabalho bem mais cedo. “Não faz sentido que um jovem faça imensos estudos e tenha o primeiro emprego aos 27 anos”, declarou.

Madrid promete conseguir um défice de 3% em 2013, através de um plano de redução de custos de cinquenta mil milhões de euros. Os analistas respondem com cepticismo.