Última hora

Em leitura:

Presidente polaco contra presidente ucraniano


Ucrânia

Presidente polaco contra presidente ucraniano

O presidente da Polónia, Lech Kaczynski, reagiu energicamente à condecoração póstuma consignada pelo seu homólogo ucraniano ao colaboracionista nazi, Stepan Bandera.

A poucos dias de abandonar o poder na Ucrânia, o presidente Viktor Iouchtchenko atribuiu o título de herói nacional a Stepan Bandera.

Uma decisão que irritou, não só o poder político polaco, mas também a opinião pública: “Na opinião de muitos polacos, Bandera era um assassino. Por isso eu aderi a este protesto. Nós sabemos o que aconteceu em Cracóvia, temos provas do que aconteceu em Varsóvia, em Lublin e em Rzeszow”.

Na nota de protesto, Kaczynski considera que a condecoração vem minar “o processo de diálogo histórico e de reconciliação, entre a Ucrânia e a Polónia”.

O presidente polaco refuta ainda a atribuição do título de combatente nacional a Bandera.

Bandera teve responsabilidades nos massacres cometidos pelas milícias do Exército Inssurrecional Ucraniano, em várias cidades, contra as duas facções da resistência polaca.

Morreram dezenas de milhares de polacos.

Stepan Bandera morreu em 1959, com 50 anos de idade, era filho de um padre católico.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Zapatero contra-ataca com reforma laboral