Última hora

Última hora

Recta final das presidenciais na Ucrânia

Em leitura:

Recta final das presidenciais na Ucrânia

Tamanho do texto Aa Aa

Terminou a campanha para a segunda volta das eleições presidenciais na Ucrânia. Este domingo, fica-se a saber quem vai dirigir o país nos próximos anos.

Um dos candidatos é Viktor Ianoukovitch, líder do Partido das Regiões e considerado pró-russo. Há cinco anos, foi vencido pela chamada Revolução Laranja, apoiada fortemente pelo Ocidente.

Esta sexta-feira, no comício de encerramento da campanha, ele disse que esse tempo acabou. “No dia 7 de Fevereiro, será o fim da Era Laranja, os cinco anos do poder laranja demonstraram ao Povo que é impossível viver assim”, declarou.

Uma crise económica gravíssima que ele tenta imputar à primeira-ministra, sua rival nestas eleições.

No comício desta sexta-feira, Ioulia Timochenko juntou-se também a uma multidão, em Kiev, a escassas centenas de metros do local onde estavam os apoiantes de Ianoukovitch.

Teve a ajuda dos clérigos ortodoxo e católico e fez o discurso apropriado. Pediu ajuda divina. “Eu tenho apelado a Deus que abençoe a unidade do nosso país, para que ninguém nos consiga dividir, ninguém, como querem os nossos inimigos”, disse.

Na primeira volta, Ioulia Timotchenko ficou a cerca de 10 pontos do seu rival, diferença que pode ser agora anulada, se conseguir conquistar os votos dos outros candidatos. Mas tem contra si a crise económica que se agravou, ao longo do seu governo.