Última hora

Última hora

Afeganistão: Karzai pondera repor recrutamento militar obrigatório

Em leitura:

Afeganistão: Karzai pondera repor recrutamento militar obrigatório

Tamanho do texto Aa Aa

O Afeganistão foi o tema em destaque no último dia da Conferência de Segurança de Munique. O secretário-geral da NATO propôs uma mudança profunda da Aliança Atlântica, tendo em conta a actual situação de segurança mundial. Anders Fogh Rasmussen alertou para a necessidade da NATO se aproximar da China, Índia, Paquistão e Rússia no que toca ao Afeganistão.

“A Índia tem um papel na estabilidade do Afeganistão. A China também. Ambas poderiam ajudar a desenvolver e a reconstruir o país. O mesmo acontece com a Rússia, que basicamente partilha connosco as preocupações de segurança. Se o Afeganistão for um refúgio seguro para os terroristas, eles podem espalhar-se rapidamente pela Ásia Central e pela Rússia”, advertiu Rasmussen.

O presidente afegão anunciou que pondera repor o recrutamento militar obrigatório no país. O objectivo é aumentar as forças de segurança para que possam substituir as tropas estrangeiras até 2015.

“Daqui a cinco anos, o Afeganistão deve ser capaz de dar segurança ao seu povo e deixar de ser um fardo para a comunidade internacional”, declarou Hamid Karzai.

Entretanto, os helicópteros da NATO distribuíram panfletos a avisar os 80 mil habitantes da região de Marjah, na província de Helmand, de que está iminente a maior ofensiva contra os talibãs, desde o início da invasão. A população já começou a deixar as suas casas.