Última hora

Última hora

Ucrânia: Ianukovitch declara vitória, Timochenko rejeita derrota nas presidenciais

Em leitura:

Ucrânia: Ianukovitch declara vitória, Timochenko rejeita derrota nas presidenciais

Tamanho do texto Aa Aa

A Ucrânia celebra a vitória de Viktor Ianukovitch nas eleições presidenciais deste domingo.

Quando estavam escrutinados 99% das assembleias de voto, o candidato do Partido das Regiões conseguia mais três pontos percentuais do que a sua adversária, a actual primeira-ministra Iulia Timochenko.

Com 48,7% dos votos, Ianukovitch torna-se o segundo chefe de Estado ucraniano desde a Revolução Laranja de 2004, quando perdeu as eleições para Viktor Iuchtchenko.

O Partido das Regiões acusa, no entanto, o Bloco Iulia Timochenko de bloquear a contagem dos votos na Crimeia e em Lugansk através de uma queixa em tribunal por fraude.

A chefe de governo e ex-símbolo da Revolução Laranja, que é creditada com 45,7% dos votos, recusa reconhecer a derrota e já ameaçou apelar para que os seus apoiantes saiam às ruas caso se verifiquem casos de fraude eleitoral.

Caso leve os resultados do escrutínio para os tribunais, Timochenko poderá prolongar a crise política em que o país vive bloqueado há cinco anos.

Em conferência de imprensa, João Soares, presidente da assembleia parlamentar da OSCE, referiu que “a segunda volta confirmou o que já tinha ocorrido na primeira volta, ou seja a maior parte das exigências da OSCE foram respeitadas.

Uma posição que contraria as denúncias de fraude feitas pela candidata vencida.

Apesar da derrota de Timochenko, os partidários da Revolução Laranja vêem o resultado eleitoral como uma demonstração do exercício democrático, o que não acontecia no país antes de 2004.