Última hora

Última hora

Choque de revoluções em Teerão

Em leitura:

Choque de revoluções em Teerão

Tamanho do texto Aa Aa

A oposição iraniana ameaça estragar a festa do aniversário da revolução islâmica, celebrada hoje em Teerão.

Os principais movimentos que contestam a legitimidade do presidente Mahmoud Ahmadinejad convocaram uma marcha verde, não violenta, “contra o despotismo”.

A capital encontra-se em estado de sítio para recordar a revolta que levou à deposição do Xá, liderada pelo Ayatollah Ali Khomeini.

As autoridades mobilizaram mais de 70 mil polícias e milicianos para evitar os protestos da oposição.

Vários altifalantes foram instalados ao longo da cidade para abafar as palavras de ordem dos manifestantes e a praça Azadi, onde Ahmadinejad deverá discursar, foi convertida numa zona de alta segurança.

Segundo a imprensa norte-americana, o governo terá mesmo ordenado o bloqueio das contas de correio electrónico durante as celebrações.

O confronto entre as duas revoluções, surge num momento em que se intensifica a repressão do governo contra os opositores.

Pelo menos mil pessoas ligadas aos protestos anti-Ahmadinejad terão sido detidas nos últimos meses, doze das quais foram condenados à morte.

Sessenta e cinco jornalistas e autores de blogues na Internet foram igualmente presos nas últimas semanas e os jornalistas estrangeiros foram impedidos de entrar no país.