Última hora

Última hora

O buraco financeiro grego ocupa a cimeira de Bruxelas

Em leitura:

O buraco financeiro grego ocupa a cimeira de Bruxelas

Tamanho do texto Aa Aa

A crise financeira na Grécia ocupa o debate na Cimeira Europeia de Bruxelas e já ontem dominou as atenções na reunião europeia dos socialistas.

O chefe do governo grego apareceu acompanhado do primeiro-ministro espanhol, cujo país detém nesta altura a presidência rotativa da União Europeia.

José Luis Rodrigues garantiu que a zona euro não deixará cair a Grécia.

O director do CEPS considera que “como em cada crise, o problema é o dinheiro. Quem tem o poder de financiar e de de intervir? No final acho que vamos acabar por verificar o papel chave da Alemanha. Porque até ao momento é o único país que tem recursos e poderá intervir com os respectivos fundos”.

Entre as medidas previstas alinham-se créditos bilaterais ou garantias que possam aliviar a taxa da dívida grega.

Na zona euro os 27 países membros receiam que a Grècia contanime outras economias também muito fragilizadas como è o caso de Espanha ou Portugal.

A crise grega não deixa de ser o primeiro teste político da União Europeia depois da entrada em vigor do Tratado de Lisboa.

Face à complexidade da crise, o manneken-pis, um dos simbolos de Bruxelas, parece agora uma boa provocação.