Última hora

Última hora

Calma regressa ao Níger

Em leitura:

Calma regressa ao Níger

Tamanho do texto Aa Aa

A calma regressou, aparentemente, à capital do Níger.

24 horas depois do golpe de Estado militar, que derrubou o Presidente, os mercados, bancos e escolas retomaram o seu funcionamento normal. Mas continua a imposição de recolher obrigatório e o encerramento das fronteiras.

Os militares, liderados pelo comandante Salou Djibo, mantêm Mamadou Tandja e vários dos seus ministros retidos num quartel nos arredores de Niamey, a capital.

Entretanto a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental enviou três membros ao Níger. Vão incumbidos de promover o retorno do país à ordem constitucional.

O Níger vive, há meses, um clima de instabilidade política depois do presidente ter decidido ampliar o seu mandato. A constituição do país prevê dois de cinco anos.

Tandja dissolveu o Parlamento, por se opor às suas intenções, e destituiu os membros do Tribunal Constitucional, que declararam a reforma inconstitucional.

A medida resultou na suspensão do Níger como membro da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental.