Última hora

Última hora

Pilotos da Lufthansa em greve durante quatro dias

Em leitura:

Pilotos da Lufthansa em greve durante quatro dias

Tamanho do texto Aa Aa

Os pilotos da Lufthansa iniciam, esta noite, uma greve de quatro dias. A classe luta por aumentos salariais superiores aos sugeridos pela administração da companhia aérea alemã.

Prevê-se que dois terços dos voos sejam anulados. O custo desta paralisação está calculado em cerca de 100 milhões de euros.

Um porta-voz do Cockpit, o sindicatos dos pilotos, lamenta: “Sempre pensámos que a Lufthansa estivesse disponível para negociações como nós estamos, mas sem condições prévias e ao mesmo nível”.

A greve na maior companhia aérea europeia afectará também a filial low cost – Germanwings -e o frete da Lufthansa Cargo.

Os quatro mil pilotos da companhia temem que os voos sejam cada vez mais confiados a operadoras de viagens de baixo custo, sediadas fora da Alemanha, com consequente perdas de empregos.

Nos aeroportos, os passageiros armam-se de paciência: “Eu sou afectada pela greve, mas compreendo a Lufthansa. Agora marquei com a companhia polaca LOT e espero conseguir chegar ao meu destino”, afirma esta senhora.

“Eu não serei afectado, porque vamos partir hoje e só voltamos daqui a três semanas. Deve haver uma razão para a greve, mas 6% de aumento, pedido pelos pilotos, parece-me demasiado”,

A última grande greve dos pilotos da Lufthansa ocorreu em 2001, durou três dias e paralisou completamente o tráfego da companhia.

A Lufthansa efectua cerca de 1800 voos por dia.