Última hora

Última hora

Prémios BAFTA em "Estado de Guerra"

Em leitura:

Prémios BAFTA em "Estado de Guerra"

Tamanho do texto Aa Aa

“Estado de Guerra” é o grande vencedor dos prémios BAFTA. A academia do cinema e televisão britânica atribuiu seis galardões à longa-metragem de Kathryn Bigelow, incluindo Melhor Filme e Melhor Realizador.

O prémio para Melhor Actor foi para Colin Firth, pelo desempenho em “Um Homem Singular”, primeiro filme do estilista Tom Ford.

Aproveitando a temática homossexual da longa-metragem, Firth disse num tom humorístico que “Tom Ford não sabe” que ele se preparava para recusar o papel quando “um homem veio [a sua casa] reparar o frigorífico”. Como o prémio parece significar que o actor “não sabe o que é melhor para si mesmo, o melhor é agradecer ao reparador de frigoríficos”.

O papel de uma brilhante aluna indecisa sobre o futuro académico em “Uma Outra Educação”, de Lone Scherfig, valeu a Carey Mulligan o BAFTA para a Melhor Actriz.

Boas notícias para o Reino Unido que, com Firth e Mulligan, guarda em casa os dois galardões para os principais protagonistas.

A actriz agradeceu o prémio e sublinhou que neste mesmo local, há um ano, não imaginava que fosse possível. Sem palavras, Mulligan aproveitou a deixa do conterrâneo e disse que “gostaria de poder fazer um discurso como Colin Firth, sobre frigoríficos”.