Última hora

Última hora

Estados Unidos: Cimeira sobre reforma do sistema de saúde termina sem acordo

Em leitura:

Estados Unidos: Cimeira sobre reforma do sistema de saúde termina sem acordo

Tamanho do texto Aa Aa

A última tentativa para convencer os republicanos a apoiarem a reforma do sistema de saúde nos Estados Unidos não funcionou.

A cimeira bipartidária convocada por Barack Obama terminou sem entendimento entre democratas e republicanos.

A maratona de sete horas de debate, transmitida em directo na televisão, acabou com uma posição clara do presidente norte-americano.

Obama pediu aos republicanos fizessem “um profundo esforço para encontrar alguns pontos de consenso para resolver o problema de 30 milhões de pessoas que não têm seguro de saúde”. Mas avisou que “não vai haver mais um ano de debate sobre o assunto”.

Com ou sem apoio da oposição, o presidente quer avançar com a reforma. E lembrou que a Casa Branca pode recorrer a um procedimento legislativo especial – a chamada “reconciliação orçamental” – que requer apenas uma maioria simples de 51 votos no Senado para aprovar o projecto.

Os senadores republicanos não cederam.

“O nosso país é demasiado grande, complexo e centralizado para que em Washington alguns, de repente, mudem as regras sobre 17% da economia”, declarou Lamar Alexander, senador republicano do Texas.

O debate é acompanhado por protestos de rua contra a reforma de Obama, considerada despesista por republicanos e por uma grande fatia da população.

Mas Obama quer mesmo avançar com a principal promessa de campanha, com ou sem o apoio dos republicanos.