Última hora

Última hora

Dois milhões de desalojados no Chile

Em leitura:

Dois milhões de desalojados no Chile

Tamanho do texto Aa Aa

No Chile, foram muitos os que passaram a noite ao relento.

Ao sismo de magnitude 8.8 na escala de Richter, seguiram-se dezenas de réplicas e ninguém se atreve a voltar a casa.

As autoridades estimam que o tremor de terra tenha provocado dois milhões de desalojados.

As autoridades estimam que o tremor de terra tenha provocado dois milhões de desalojados
Alguns edifícios continuam em pé, mas não existem garantias de segurança.

“Não podíamos ficar em casa. Fomos, apenas, à casa de banho, mas planeamos dormir aqui. É mais seguro” afirma uma mulher.
“No total somos 12. Vivíamos no terceiro andar. Lembro-me que o edifício começou a tremer e foi horrível. Tenho medo de voltar a casa” relata um chileno.

O abalo, com epicentro no mar foi registado a cerca de 300 quilómetros de Santiago e a 90 de Concepción. A segunda maior cidade do país foi uma das mais afectadas.

Em Dichato os estragos são ainda maiores.
Da localidade situada a cerca de 40 quilómetros de Concepción pouco resta.

A verdadeira dimensão da catástrofe apenas deverá ser conhecida nos próximos dias.

O Presidente chileno eleito anunciou que vai direccionar dois por cento do Orçamento do Estado para a reconstrução do país.

O Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial abriram, entretanto, duas linhas de financiamento.