Última hora

Última hora

Bósnios de Sarajevo não acredita na justiça do TPI

Em leitura:

Bósnios de Sarajevo não acredita na justiça do TPI

Tamanho do texto Aa Aa

Capital da Bósnia-Herzegovina, Sarajevo será sempre recordada como uma das cidades que mais sofreu com a Guerra da Bósnia.

Entre Abril de 1992 e Outubro de 1995, a cidade foi cercada pelas forças sérvias da Bósnia, lideradas pelo general Ratko Maldic, sob as ordens de Radovan Karadzic. Foram 44 meses de bombardeamentos contínuos que provocaram milhares de mortos.

No simbólico mercado da capital, a população bósnia não acredita na justiça do Tribunal Penal Internacional.

“Eu mandava miúdos baterem-lhe com martelos na cabeça para ter uma morte dolorosa e lenta. É o que ele merece,” afirma um bósnio-muçulmano.

Um outro bósnio residente em Sarajevo diz
não acreditar que “o tribunal de Haia o consiga castigar como deve ser. Deviam mandá-lo para Sarajevo para o podermos enforcar aqui no centro da cidade.”

No dia 05 de Fevereiro de 1994, uma granada de obus cai no mercado de Markale, em Sarajevo, matando 68 pessoas e ferindo 200. O ex-general sérvio-bósnio Stanislav Galic foi condenado a 20 anos de prisão pelo TPI pela sua implicação no ataque.

Em Agosto de 1995, outro ataque com uma granada de obus matou 38 pessoas e feriu 80 no mesmo mercado.