Última hora

Última hora

Caracas considera acusações de Madrid "inaceitáveis"

Em leitura:

Caracas considera acusações de Madrid "inaceitáveis"

Tamanho do texto Aa Aa

Acusar a Venezuela de ser um elo de ligação activo entre as FARC e a ETA é “totalmente inaceitável”.

Foi assim que o governo de Caracas reagiu às acusações de Madrid. Acusações que surgem no auto de acusação de seis membros da ETA e sete das FARC redigido pelo juiz da Audiencia Nacional Eloy Velasco.

O presidente venezuelano Hugo Chavez já reagiu às acusações de Madrid e fê-lo bem ao seu jeito.

Para Chavez, “é como uma orquestra. De um lado há a audiência real espanhola, do outro há Washington. E no final, há o Tribunal dos Direitos do Homem que no outro dia nos dedicou 300 páginas e tudo isto não é uma coincidência. É uma orquestra e por detrás disto tudo está, evidentemente, o império yankee.”

Ontem à noite, o chefe de governo espanhol, José Luiz Rodriguez Zapatero, pediu explicações a Caracas.

O inquérito do juiz Eloy Velasco conclui que a cooperação da Venezuela manifestou-se “especialmente no caso de Arturo Cubillas Fontan”, um membro da ETA nomeado em 2005 para um cargo no Ministério da Agricultura venezuelano.

A colaboração entre as FARC e a ETA tinha como objectivo a preparação do assassínio de personalidades como o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, ou seu antecessor, Andrés Pastrana.