Última hora

Última hora

Chile: Governo afirma ter identificado 279 vítimas do terramoto

Em leitura:

Chile: Governo afirma ter identificado 279 vítimas do terramoto

Tamanho do texto Aa Aa

Após vários comunicados, o governo chileno decidiu corrigir a informação – foram identificadas 279 vítimas do terramoto que Sábado surpreendeu o país. Sobre a existência de mais de 800 mortos, nada foi dito.

Michele Bachelet, que se tem desdobrado em visitas aos sinistrados e feito promessas de ajuda, a uma semana de deixar o cargo, tentou apaziguar os que denunciam lentidão: “Tudo está a ser feito para fazer chegar os serviços da polícia, dos bombeiros e das forças armadas às regiões afectadas, o mais depressa possível, onde são necessários.”

Desde o fim-de-semana, pelo menos 200 réplicas do sismo de Sábado foram sentidas. A mais recente registou-se na quarta-feira, também junto à costa, e teve uma magnitude de 6,1 graus.

Sebastian Pinera, presidente eleito, também interveio, a uma semana de tomar posse: “O futuro governo está a tentar organizar um plano de acção que permita ajudar as vítimas desta tragédia e encarar, ao mesmo tempo, as consequências com eficácia.”

O exército tomou conta das ruas para tentar impor a ordem, as pilhagens aumentam.

O abalo telúrico de Sábado, o primeiro, teve 8,8 graus na escala de Richter. Foi seguido de um maremoto que atingiu 700 quilómetros da costa chilena.

O governo prevê que o país necessite de três a quatro anos e mais de 25 mil milhões de euros para reconstruir as zonas arrasadas pelos vários sismos.

Foi decretado um luto nacional de três dias a partir de Domingo.