Última hora

Última hora

Realizadores estrangeiros à espera do Oscar

Em leitura:

Realizadores estrangeiros à espera do Oscar

Tamanho do texto Aa Aa

Na véspera dos Oscars, Hollywwod Boulevard veste-se de vermelho. Em Los Angeles, todos aguardam para ver se é desta que uma mulher – Kathryn Bigelow – será sagrada melhor realizadora, com o filme “Estado de guerra”. Na corrida está também o ex-marido da cineasta, David Cameron, que assina “Avatar.”

Nas luzes da ribalta estiveram este sábado os realizadores dos cinco concorrentes ao Melhor Filme Estrangeiro.

“O laço branco” é o favorito. O austríaco Michael Haneke já ganhou uma Palma de Ouro, em Cannes, e três troféus nos European Film Awards.

Na corrida estão também “Um profeta”, do francês Jacques Audiard, Grande Prémio do Júri de Cannes e “El secreto de sus ojos”, do argentino Juan José Campanella, prémio Goya de Melhor Filme hispano-americano.

“Ajami” dos israelitas Scandar Copti e Yaron Shani é outro dos nomeados. “Os Oscars são um sonho e por isso, as pessoas aderem como se fosse uma selecção de futebol que representa o seu país… Mas os filmes não são futebol. No entanto, é fantástico ver como as pessoas se envolvem com algo que é tão pessoal”, diz, emocionado, Yaron Shani.

A nomeação de “La teta asustada” – Urso de Ouro em Berlim, há um ano – é já uma consagração para a jovem realizadora peruana Claudia Llosa. É a primeira vez que o Perú tem um filme nomeado para os Oscars e Llosa espera que esta presença tenha uma boa influência no cinema peruano: “Espero que, de alguma maneira, isto ajude a criar mais oportunidades, a criar um efeito borboleta e a contagiar o entusiasmo a novos cineastas.”

Áustria, França, Argentina, Israel e Peru aguardam ansiosamente a 82.a edição dos Oscars, este domingo, para saber qual será a nova pátria da estatueta dourada.