Última hora

Última hora

Colégio alemão reconhece abusos sexuais sobre estudantes

Em leitura:

Colégio alemão reconhece abusos sexuais sobre estudantes

Tamanho do texto Aa Aa

Um colégio interno da elite alemã, não religioso e associado à Unesco, foi palco de abusos sexuais por parte dos professores aos alunos nas décadas de 70 e 80. As vítimas podem seu mais de cem.

É o mais recente caso na Alemanha, desde Janeiro sacudida por sucessivos escândalos de abusos sexuais por parte de padres e professores.

Um responsável do colégio interno – Odenwaldschule – no oeste do país, afirmou desconhecer se existem casos actuais de abusos. Para Uwe Koltzsch, vice-director da escola: “Não posso excluir essa possibilidade, como poderia? Apenas posso falar por mim e esperar que os jovens de hoje estejam a ser educados de forma correcta”.

O responsável acrescentou que havendo vítimas, “que possam falar de forma aberta sobre estes temas, com os pais ou outras pessoas.”

Neste colégio estudaram personalidades como o escritor Klaus Mann ou o eurodeputado dos Verdes, Daniel Cohn-Bendit.

Na Baviera, na catedral de Ratisbonne, onde vários meninos do coro foram vítimas de abusos sexuais na década de 50, os casos, de acordo com o Vaticano, foram anteriores à chegada do irmão do Papa Bento XVI como director do agrupamento.

Dois padres, hoje mortos, tinham sido condenados pelos feitos há décadas.

Os casos estão considerados encerrados pela polícia judiciária alemã.