Última hora

Última hora

Eleitores islandeses "castigam" Governo com rotundo "não" ao plano para pagar dívida ao Reino Unido e Holanda

Em leitura:

Eleitores islandeses "castigam" Governo com rotundo "não" ao plano para pagar dívida ao Reino Unido e Holanda

Tamanho do texto Aa Aa

A maioria dos 230 mil eleitores convocados para o referendo pelo Presidente da Islândia disse “não” ao plano do Governo para pagar a dívida de quase quatro mil milhões de euros ao Reino Unido e à Holanda.

Foi a forma encontrada para se “vingarem” dos banqueiros e políticos islandeses.

Estes dois países compensaram os mais de 400 mil depositantes com contas no banco islandês Icesave quando este declarou falência em Outubro de 2008.

O ministro islandês das Finanças, Steingrimur J. Sigfusson, afirmou ter entendido a mensagem: “É óbvio que é uma mensagem clara por parte dos eleitores, Vamos seguir em frente e ver como alcançar uma solução. É preciso não esquecermos que os três países envolvidos terão de encontrar uma solução aceitável, apesar de tudo. É a tarefa que temos pela frente e o referendo não a mudou.”

O plano rejeitado previa que até 2024 a Islândia pagasse os quase quatro mil milhões de euros. E a partir de 2016, cada um dos 320 mil habitantes do país teria de desembolsar o equivalente a cem euros por mês.

A dívida da Islândia representa metade do Produto Interno Bruto nacional. A muito necessitada ajuda financeira do Fundo Monetário Internacional apenas vai chegar ao país caso um acordo para o pagamento da dívida seja alcançado.

A Islândia também declarou bancarrota na sequência da crise económica e financeira mundial.